segunda-feira, 29 de julho de 2013

Linha imobiliária deve passar carteira para consumidores

SÃO PAULO
O financiamento para compra e construção de imóveis deve se tornar a principal carteira de crédito para os bancos brasileiros ainda neste semestre. De acordo com as projeções da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o saldo da carteira de crédito imobiliário deve atingir um patamar em torno de R$ 300 bilhões em agosto, superando, a partir daí, o saldo da carteira de crédito pessoal. Os empréstimos para compra e construção de imóveis no País atingiram o montante de R$ 49,6 bilhões no primeiro semestre de 2013, volume 34% superior aos R$ 37 bilhões no mesmo período de 2012.
O volume é o maior já registrado em um único semestre, segundo a associação. Os dados levam em conta apenas os financiamentos com recursos provenientes das poupanças. Pelas regras do Banco Central, 65% do saldo da caderneta devem ser direcionados pelos bancos para o crédito do tipo imobiliário.
O crescimento foi puxado pelos financiamentos destinados à compra de imóveis. Este segmento, destinado a consumidores, avançou 45%. Já os empréstimos para construção de imóveis, tomados pelas construtoras, avançou apenas 12% no mesmo período, de acordo com a Abecip.
Em junho, o volume de concessões alcançou R$ 11,2 bilhões, alta de 51% comparativamente a junho do ano passado e aumento de 15% em relação a maio. Nos 12 meses compreendidos entre julho de 2012 e junho de 2013, os empréstimos imobiliários totalizaram R$ 95,3 bilhões, 19% mais do que nos 12 meses anteriores.
Em termos de unidades, até junho foram financiados 244,7 mil imóveis, 14% a mais do que em 2012. Em junho, foram financiados 53,2 mil imóveis, crescimento de 12% em relação a maio e de 27% na comparação com junho de 2012. Nos últimos 12 meses até junho foram financiados 483,6 mil imóveis, 3% a mais do que nos 12 meses precedentes.