quarta-feira, 24 de julho de 2013

Metro quadrado na Zona Norte tem alta maior do que INCC em 12 meses

Com compradores potenciais fiéis a região e com bom padrão aquisitivo, a Zona Norte de São Paulo tem acumulado valorização no metro quadrado acima do INCC nos últimos 12 meses, levando em conta o preço mediano de lançamento. No período, o metro quadrado mediano da região passou de R$ 5,5 mil para R$ 6,4 mil, segundo estudo da Lopes.
O tíquete médio de um apartamento lançado no último triênio na região é R$ 390 mil. Foram 13.495 unidades no período. Desse total de apartamentos lançados, 68% possuem até 69 m² de área privativa, 22% de 70 m² a 109 m², 7% de 110 m² a 169 m² e 3% de 170 m² ou mais.

O volume de apartamentos vendidos por número de dormitórios está distribuído da seguinte forma: 1 dormitório (94 unidades), 2 dormitórios (6.823 unidades), 3 dormitórios (3.078 unidades) e 4 dormitórios (824 unidades).

Desse total, 17% das unidades estão em estoque, uma parcela pequena, 2.273 de 13.495. O estoque proporcional de apartamentos com 1 dormitório é 15% (16 unidades), 2 dormitórios 12% (961 unidades), 3 dormitórios 21% (801 unidades) e 4 dormitórios 31% (377 unidades).

Ao norte da Marginal Tietê, disparado o bairro mais desejado é Santana, mas pela falta de terrenos e preços elevados nesta região as vizinhas Casa Verde e Vila Guilherme ganham espaço no mercado imobiliário da Zona Norte e se consolidam como opção para apartamentos de médio e alto padrão, com preços de metro quadrado variando de R$ 6 mil próximo à marginal até R$ 8 mil nas ruas limítrofes com Santana, segundo Caio Augusto Pereira, Superintendente de Inteligência de Mercado da Lopes. O executivo indica como tendência lançamentos em bairros como Freguesia do Ó e Mandaqui, que tem recebido lançamentos com metro quadrado a partir de R$ 6 mil e que devem valorizar.

Como exemplos de sucessos, a Lopes cita os empreendimentos Matriz Freguesia do ò, da Even, com 78% vendido no lançamento, o Agora Jaçanã, da Living, 100% vendido, e o Club Park, também da Even, no Jaraguá e 76% vendido.
(Redação - Agência IN)