segunda-feira, 27 de maio de 2013

Feirão da Caixa negocia meio bilhão em Florianópolis

Quase 13 mil pessoas visitaram o evento que contratou 2.175 negócios

André Amaral  |  reportagem@diario.com.br

Encerrado ontem, o 9o Feirão Caixa da Casa Própria de Florianópolis recebeu quase 13 mil pessoas que contrataram  2.175 negócios, no valor total de R$ 470 milhões. No evento, que começou sexta-feira, participaram cerca de 90 construtoras e 50 imobiliárias participaram do Feirão.

Apesar deste número de empresas, o evento deste ano ficou abaixo da expectativa da Caixa, que era de R$ 600 milhões em negócios na Capital. Ainda assim, o superintendente do banco garante que as condições do Feirão, que irão se estender até o final de junho, são facilitadoras.

Carla Gonçalves, 33 anos, não perdeu a oportunidade de adquirir a primeira casa própria. A doméstica, que há mais de um ano vinha procurando sem sucesso um apartamento compatível com a própria realidade econômica, se convenceu de que precisava fazer algumas concessões e decidiu adquirir um imóvel em Palhoça. Para isto, ela deu uma pequena entrada e financiará o restante com uma taxa de juros de 4,5%.

? Decidi com base no preço e nas condições, que estão boas. Não vou morar na Ilha como queria, mas estou feliz por ter encontrado um apartamento bom e acessível ? explica.
Casal conseguiu adquirir imóvel para melhorar renda

Diferente de Carla, a professora Lissandra Zanon, 30, representa os cerca de 2% do público que visitou o Feirão em busca de um segundo imóvel. A moradora de Biguaçu tem uma casa própria, onde mora com o marido Marcos, mas decidiu investir em um apartamento em Palhoça para alugar e obter uma segunda fonte de renda.

? Venho pesquisando há uns três meses e aqui encontrei bom preço, ótimas condições e juros baixos. Valeu a pena ? celebrou a professora.

>>>> Para comprar bem

Dica para o primeiro imóvel
* Não comprometer mais do que 30% da renda total na aquisição do imóvel.

* Contrariando a tendência, é fundamental analisar as características do imóvel com frieza, deixando de lado a emoção e levando em conta pontos como a vizinhança e a distância até o local de trabalho e a escola dos filhos.
Dica para o segundo imóvel
* Colocar o imóvel próprio à venda antes de adquirir o segundo é o mais indicado. Com o dinheiro em mãos, fica mais fácil negociar.
Consórcios
* Se o horizonte da compra de imóvel é de médio ou longo prazo, especialistas recomendam o consórcio imobiliário.

Diário Catarinense